Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu

O site de notícias de entretenimento Deadline informou nesta terça-feira que a Netflix está procurando “construir um universo televisivo de Assassin’s Creed”, e está trabalhando para desenvolver um “live-action, animado, e série de anime” baseados na franquia de jogos da Ubisoft.
A primeira série em desenvolvimento é uma adaptação live-action. A equipe está atualmente procurando por um showrunner.
O produtor Adi Shankar informou em julho de 2017 que seu próximo projeto seria uma série baseada em Assassin’s Creed. Ele descreveu o projeto como um “anime”. O chefe de conteúdo de Assassin’s Creed, Azaïzia Aymar, confirmou em 2017 que a Ubisoft estava envolvida no projeto.
O artigo da Deadline desta terça-feira não mencionou se Shankar estava envolvido na planejada série de animação ou anime.
A história da série de Assassin’s Creed traça uma Guerra das sombras entre os Assassinos e os Templários que que vem acontecendo desde o início dos tempos, e concentra na luta pelo controle de informação sobre a história secreta da humanidade. Um filme adaptado em live-action foi lançado em dezembro de 2016. A franquia deu origem a várias séries em mangá. A Titan Comics lançou Assassin’s Creed 4: Black Flag – Kakusei- em inglês em 2017. A Viz Media vai lançar o primeiro volume do mangá de Minoji Kurata, Assassin’s Creed: Blade of Shao Jun, no dia 16 de fevereiro, 2021.
A série animada Castlevania de Shankar baseada na clássica série de jogos da Konami apresentou três temporadas, com uma quarta em produção.

Fonte: Deadline (Nellie Andreeva)

O dia de estreia do filme, de 1.26 bilhões de ienes, é agora a maior estreia durante a semana na história das bilheterias japonesas
Famitsu.com informou na segunda-feira que o filme Demon Slayer Mugen Train (Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha-Hen) da série animada vendeu 3.424,930 ingressos e lucrou 4.623.117,450 ienes (cerca de R$245.626,00 milhões) no Japão nos primeiros três dias. O filme vendeu 910.507 ingressos e lucrou mais de 1.268.724,700 ienes (cerca de R$67.407,00 milhões) apenas em seu dia de estreia, fazendo dessa a maior de todas em dia de semana.
[leia mais]

Mais conhecido por seu trabalho na primeira adaptação de Ghost In the Shell, Mamoru Oshii é famoso como escritor e diretor de peças com atmosferas sombrias, complexas e visualmente atraentes. Ele é famoso por não apenas criar o primeiro OVA (“animação original em vídeo”, também conhecido como anime lançado diretamente para o vídeo doméstico), mas também é conhecido por se afastar de qualquer material original ao fazer adaptações para filmes.

Por exemplo, o alegre Urusei Yatsura recebeu o tratamento de Oshii no segundo filme da UY, “Beautiful Dreamer”; que é elogiado por ser uma narrativa visual bonita e surreal, mas, ao mesmo tempo, criticada por ter muito pouco em comum com o resto da série. (Embora até hoje; provavelmente é uma das produções UY mais populares, ainda está nas 100 melhores listas de críticos de anime.)

Ele também colaborou com o famoso artista e designer de personagens Yoshitaka Amano em 1985 para um OVA chamado “Angel’s Egg”. Embora visualmente deslumbrante, este filme é intensamente amado e odiado por muitos por suas longas sequências sem palavras e óbvio simbolismo cristão.
Oshii foi fortemente influenciado por muitos cineastas europeus e foi citado como a sua paixão em criar anime (ou um de seus filmes de ação ao vivo) reside em seu amor por “criar outros mundos”. Hoje, ele próprio é uma influência e é creditado como uma das principais inspirações por trás de filmes como “The Matrix”.

 

Se já vistes o trabalho dele em “Ghost in the Shell”, recomendo o “Beautiful Dreamer” de UY (não precisas ter visto muito ou nada UY para apreciar a história) e “Jin-Roh”

Antes de formarem a Key, os membros fundadores trabalharam para outra empresa de visual novels chamada Nexton, sob a marca Tactics. Na época da produção para Dõsei, o primeiro jogo de Tactics, os quatro funcionários originais de Key que trabalhavam nele foram: Itaru Hinoue como diretora de arte, Shinji Orito como compositor musical e Miracle Mikipon e Shinory contribuindo para a computorização gráfica.
Antes de abandonarem Dōsei os restantes membros da equipa fundadora de Key – Naoki Hisaya, Jun Maeda e OdiakeS – ingressaram na Tactics e contribuiram para mais dois jogos: Moon lançado em 21 de novembro de 1997 e One: Kagayaku Kisetsu lançado em 29 de maio de 1998, mais tarde viria a ter duas adaptações em anime (Um hentai de 4 OVAS e um anime normal também de 4 ovas)
Devido a opiniões divergentes entre a Nexton e a maioria da equipa de produção sobre como produzir o próximo jogo da marca, a maioria da equipa da Tactics deixou a Nexton para prosseguir com o trabalho em outra editora onde eles poderiam ter a liberdade de produzir o próximo jogo.
Itaru Hinoue, que já havia trabalhado anteriormente em Visual Arts apresentou os membros fundadores de Key ao presidente de Visual Artsl, Takahiro Baba que lhes deu toda a liberdade que eles desejavam, transferindo-se assim oficialmente para o Visual Arts, onde formaram Key em 21 de julho de 1998.

Todos os trabalhos escritos por Jun Maeda/Key.

Moon. foi escrito por ele enquanto ainda trabalhava na NEXTON.

One Kagayaku E – foi o primeiro Nakige escrito por Jun Maeda, um género que depois viria a definir o estilo de histórias que ele viria a escrever para KEY.

Nakige – Este tipo de história é escrita de modo a causar um impacto emocional no jogador e tornar-se memorável, o choro é uma característica comum. Uma fórmula simples para um jogo: a primeira metade é cômica com um meio romântico que aquece o coração, seguida por uma separação trágica e, finalmente, uma reunião emocional formada pelo que é conhecido como “cryng game”. O objetivo principal de tal jogo é fazer com que o jogador sinta o mesmo que as personagens e fazê-lo chorar devido aos acontecimentos emocionais que servem para deixar um impacto maior no jogador após o terminar do jogo.

HISTÓRIA DE ONE KAGAYAKU E
A história gira em torno de Kouhei Orihara, o protagonista, que suspeita que a dada altura a sua vida atual irá mudar, enquanto vive uma rotina diária pacífica. Devido a isto, ele começa a isolar-se no Mundo Eterno, um mundo dentro da sua mente. O principal motivo recorrente do jogo é um foco no Mundo Eterno, um espaço místico alternativo que nunca é claramente explicado, e cujos detalhes são desconhecidos.

Certos acontecimentos nesta história são uma prenuncia para certos trabalhos que ele viria a desenvolver mais tarde.

  • A visual novel apresenta duas personagens com incapacidade
    Kawana Misaki que é nasceu cega e Kouzuki Mio uma underclassman do protagonista que é surda muda e utiliza um notebook para “falar”
  • O presente que uma das protagonistas recebe tem uma fita de embrulho idêntica ao laço da Komari, o próprio relógio na minha opinião está ligada à história de Little Busters.

 

Kanon

Sete anos se passaram, vagas lembranças, poucas mudanças… é assim que Yuuichi se sente ao retornar à cidade onde esteve sete anos atrás. Os seus pais tiveram que viajar por isso, ele resolveu mudar-se e permanecer na casa da sua Tia e a sua prima Nayuki. Gradualmente, as suas memórias voltam e tomam formas, não somente para ele, mas para todos ao seu redor. Um excelente anime que se movimenta num turbilhão de emoções, segredos, mistérios e até mesmo eventos sobrenaturais.

Kanon foi a primeira visual novel criada por key, sendo também o primeiro trabalho deles a ter uma adaptação.
A primeira versão foi lançada em 2002 pela toei, 12 eps e é uma adaptação horrível.
A história está rushed e compacta de mais, a animação é pobre e o character design tenta igualar o estilo da VN ao extremo, soundtrack original que comparada ao da visual novel é fraco.
Esta adaptação passou ao lado de muita gente.

Em 2006 a KyoAni intervém e cria um remake do anime contando com 26 episódios,
uma excelente adaptação desde aos story arcs, character design e incluíram o soundtrack do jogo
Exemplo (Anime VS VN)

Air

Kunisaki Yukito é um viajante, que procura pela‘a menina no céu’, uma lenda passada de geraçao em geração entre a sua família. A sua viagem leva-o a uma pequena cidade no litoral onde ele conhece Misuzu, uma menina que parece ansiosa para ser amiga dele. Uma história que atravessa mil anos e começa a desdobrar e a mostrar a fundo a relação entre eles.

Air o segundo trabalho desenvolvido por KEY.

Num dos episódios temos um Easter egg, onde as personagens de kanon fazem um cameo.

  • Air foi o terceiro anime criado pela Kyoto Animation

Clannad – Temporada 1

Tomoya Okazaki é um delinquente que acha a vida é monótona. Com o seu amigo Youhei Sunohara, ele abandona a escola e planeia desperdiçar os seus dias.

Um dia, enquanto caminhava para a escola, Tomoya passa por uma jovem rapariga a murmurar calmamente para si própria. Sem aviso prévio, ela exclama “Anpan! (uma comida japonesa popular) que chama a atenção de Tomoya. Logo descobre que o nome da rapariga é Nagisa Furukawa e que ela exclama coisas de que gosta para se motivar. Nagisa afirma que agora são amigas, mas Tomoya afasta-se passando o encontro como se nada fosse.

No entanto, Tomoya descobre que está a reparar cada vez mais em Nagisa em torno da escola. Eventualmente, ele concede e faz amizade com ela. Tomoya fica a saber que Nagisa perdeu um ano devido a uma doença grave e que o seu sonho é reavivar o clube de teatro da escola. Alegando não ter nada melhor para fazer, decide ajudá-la a alcançar este objetivo com a ajuda de outras quatro raparigas.

À medida que Tomoya passa mais tempo com as raparigas, ele aprende mais sobre elas e os seus problemas. Ao tentar ajudar cada rapariga a ultrapassar o seu respetivo obstáculo, começa a perceber que a vida não é tão monótona como um dia pensou.

Clannad After Story – Temporada 2

Alguns meses se passarem desde que Tomoya se confessou a Nagisa. Agora no segundo semstre, ele conhece novas pessoas, assim como a relação que ele tem com Nagisa torna-se mais íntima. Nesses acontecimentos, Tomoya percebe a importância da família, assim como as dificuldades e desafios que vem pela frente.

  • Trivia
  • As light orbs, são uma poderosa fonte de poder que existe em Hikarizaka e no mundo ilusório. Elas são criados sempre que Tomoya, ou possivelmente qualquer pessoa, ajuda alguém a alcançar a felicidade ao completar uma meta e podem causar milagres.As esferas de luz têm limitações, no entanto; os orbes precisam seguir três regras no anime:
  • As orbes da luz farão exatamente o que é pedido e nada mais, nada menos. No arco de flashback, quando a Misae pede que Katsuki a ame para sempre, ele volta à sua forma original, que é um gato. Katsuki então segue Misae nesta forma. Se a Misae soubesse que Katsuki era um gato, ela provavelmente poderia ter perguntado se o Katsuki a iria amar para sempre como humana. A necessidade de especificidade ao desejar também se manifesta quando Tomoya pede que Nagisa e Ushio retormem à vida. As orbes concedem seu desejo, mas, para fazê-lo, eles o trazem de volta ao tempo em que Nagisa deu à luz Ushio, deixando-o com um conjunto de memórias da linha de tempo anterior.
  • Os desejos são concedidos apenas se forem genuinamente desejados.
    A primeira vez que Nagisa morreu, Tomoya, teve a chance de trazer a sua esposa de volta dos mortos (que tem uma segunda chance mais tarde), desejou nunca ter conhecido a Nagisa. O desejo não foi atendido porque não era um desejo genuíno.
  • As crianças são o culminar das esperanças e sonhos dos seus pais. Isso é algo discutido abertamente ao longo do anime. Ushio conseguiu conceder um desejo a Tomoya, porque ela é o culminar das orbes de luz que ele coletou e compartilhou com Nagisa (isto é visível no main menu da Visual Novel, sempre que alguém completa uma route das personagens pequenas orbs irám aparecer no ecrã, após todas terem sido colecionadas desbloqueia-se clannad after story).

Little Busters Temporada 1, Little Busters EX – OVA

A história do anime gira em torno de Riki, um rapaz que perdeu os pais cedo num acidente, graças a seu evento traumatico Riki sofreu de depressão e só conseguiu seguir em frente graças a um grupo de quatro crianças que se intitulavam de Little Busters. Agora, no secundário, esse grupo de amigos ainda continua unido. O líder do grupo Kyoosuke Natsume quer criar memórias felizes antes de se graduar primeiro que os amigos, para isso decide criar uma equipa de baseball Riki fica responsável pelo recrutamento de novos membros para o Little Busters, e reúne uma série de personagens cada uma com a sua história e motivações que as levaram a aceitar o convite.

Llttle Busters Refrain Temporada 2

“Este mundo tem um segredo,” é a mensagem que chega em carta através de um dos gatinhos que Rin, irmã de Kyosuuke, toma conta, para descobri-lo é preciso realizar as tarefas que chegam ocasionalmente. Sem explicação, apenas com a vontade de descobrir esse segredo, Riki e Rin, juntos com Little Busters, completam tais tarefas enquanto treinam baseball.

Esse é o mistério central de Little Busters que quase não é mencionado ao longo da primeira série, mas que ainda consegue manter a curiosidade vez ou outra.

Superar o passado e o desejo de caminhar em frente é constante em cada personagem de Little Busters.

Rewrite – Temporadas: 2 – Anime

Kazamatsuri, uma moderna e bem desenvolvida cidade, conhecida pela sua resplandecente vegetação e riqueza na cultura japonesa, é o lar de Kotarou Tennouji, um estudante do secundário que pouco partilha dos valores daquele local. Feliz em preencher os seus bolsos com futilidades, o orgulhoso e intrometido rapaz passa o seu tempo importunando o auto-proclamado delinquente Haruhiko, e declarando os seus sentimentos à excêntrica Kotori.

Equipado com a capacidade sobrehumana de reescrever permanentemente qualquer parte do seu corpo para multiplicar a sua força e velocidade, Kotarou é naturalmente atraído para o sobrenatural. Um encontro especial com o único membro e presidente do Clube de Investigação do Oculto, a “bruxa” Akane Senri, leva a que Kotarou reviva o Clube do Oculto ao recrutar Kotori e outros três membros: a desastrada aluna transferida Chihaya, a rigorosa representante da turma Lucia, e a despretensiosa Shizuru.

Planetarian

“Porque não vens ao planetário?
O lindo cintilar da eternidade que nunca se desvanecerá, não importa o que aconteça.
Todas as estrelas no céu estão à tua espera.”

Passaram-se trinta anos após o fracasso do Programa de Colonização Espacial.
A humanidade está quase extinta. Uma chuva perpétua e mortal cai sobre a Terra.
Homens conhecidos como “Junkers” saqueiam bens e artefactos das ruínas da civilização.
Um desses Junkers esgueira-se sozinho para a mais perigosa de todas as ruínas — uma “Cidade Sarcófago”.
No centro desta cidade morta, ele descobre um planetário da altura da Pré-Guerra.
E ao entrar é saudado por Hoshino Yumemi, um robô assistente.
Sem um único pedaço de dúvida, ela assume que ele é o primeiro cliente que ela tem em 30 anos.
Ela tenta mostrar-lhe as estrelas de uma vez, mas o projector de planetário está partido.
Incapaz de fazer cabeças ou caudas da conversa dela, ele acaba por concordar em ficar e tentar reparar o projetor.

Waifu é um termo usado entre os fãs de anime e mangá japonês, que significa esposa.

Esse termo vem de uma adaptação japonesa da palavra “wife” (esposa em inglês), e é usado pelos fãs para se referir a uma personagem que gostem muito. Em alguns casos, a pessoa chega a ter atração física por ela, e gostaria de se casar com a personagem caso ela fosse real.

De onde veio esse termo?

O termo Waifu é utilizado de forma coloquial por homens asiáticos, para se referir às suas esposas.

Foi em 2002, a partir de uma cena do anime Azumanga Daioh que o termo ganhou popularidade. No anime, um professor pervertido deixa cair do seu bolso a foto de uma mulher, que as alunas descobrem ser sua esposa.

Vejamos a cena e o diálogo a seguir:

  • Takino Tomo: O que é isto? A foto de uma mulher?
  • Kasuga Ayumu: Ela é linda.
  • Takino Tomo: Quem é ela?
  • Sr. Kimura: Mai waifu ( a minha esposa).
  • Todos: Impossível!

Husbando e Bossu

Husbando segue a mesma lógica de Waifu, sendo uma maneira adaptada de se dizer “husband”, que significa “marido” em inglês. Outra expressão usada é Mai Bossu, que vem do termo “my boss”, ou seja, ” o meu chefe”.

Esse tipo de adaptação asiática das palavras em inglês é chamado de Engrish.

Os termos Waifu e Husbando eram usados originalmente quando a pessoa tinha uma obsessão por personagens de anime ou mangá. Porém, atualmente o termo passou para o ocidente, sendo usado também para se referir a atores ou cantores, e em alguns casos pode ser visto como um sinónimo de “crush”.